Arte em Movimento

Circo entra em campo no Canadá

 

 

Circo à beira do rio, em lugar paradisíaco, encantou população das pequenas vilas próximas à Cap-Saint-Ignace  

Bell Bacampos, de Cap-Saint-Ignace*

“Aconteceu um encontro mágico entre os artistas e a população das pequenas vilas da região, no Cirque en Fleuve (Circo no Rio)”, afirma Marie-Claude Bouillon. “No segundo dia das apresentações (o da Residência Artística), a lona estava cheia. Não tinha mais nenhuma cadeira vaga”, acrescenta Alain Veilleux.

Ele e Marie-Claude organizaram a 4ª edição do Cirque en Fleuve, que aconteceu à beira do rio Saint Laurent, ao lado do moinho histórico Vincelotte, próximo à cidade de Cap-Saint-Ignace, no Canadá, de 20 a 23 de agosto. Alain respondeu pela direção artística, e Marie-Claude, pela direção geral e coordenação.

 

Lona do Cirque em Fleuve / Foto Asa Campos

 

Em entrevista ao Panis & Circus, eles afirmaram que foi surpreendente a afluência e receptividade do público – ainda mais porque parte dele, espalhado por vilas e fazendas próximas à Cap-Saint-Ignace (cidade de 8 mil habitantes, distante 100 km de Quebec) não está acostumado a sair em busca de atividades culturais.

Mais: o Cirque en Fleuve está longe de ser um evento “comercial” e não está focado na recreação mas na recriação. “Buscamos a experimentação artística e o público reagiu muito bem à proposta”, afirma Marie-Claude. (Leia mais sobre a entrevista de Marie-Claude e Alain na seção E com vocês).

 

Da esq. para dir: Luu Li, Maíra Campos, Daniel Pedro, Alain Veilleux e Marie-Claude/ Foto L´Oie Blanche

 

Os artistas brasileiros Daniel Pedro, Maíra Campos (do Artinerant´s) e Luu Li participaram da Residência Artística do Cirque en Fleuve – que durou cerca de 25 dias. Eles foram destaque – ao lado de Marie-Claude e Alain – da edição do jornal L´Oie Blanche – conforme mostra a capa dessa edição do site. Os canadenses Anouk Charest e Laurence Tremblay também participaram da Residência Artística.

 

Parada Artística

Para convocar o público a ir ver as apresentações do “Cirque en Fleuve”, no Moinho Vincellote, às margens do rio, de 20 a 23 de agosto, foi feita uma Parada de Abertura do evento, “Ode ao Rio”, em 13 de agosto, em Cap-Saint-Ignace.

Veja Galeria de fotos da Parada.

 

Marie Claude e seu cavalo Ophéo / Foto Divulgação

 

Maíra Campos, da cia. brasileira Artinerant´s, durante a Parada / Foto Divulgação

 

Artista de perna-de-pau salta no ar / Foto Divulgação

 

Pialli Laurier, acrobata e especialista na arte equestre / Foto Divulgação

 

Laurence Tremblay-Vu e Pialli Laurier, Luu Li, Maíra Campos e Daniel Pedro (no fundo) / Foto Divulgação

 

Maíra Campos e Daniel Pedro em cena acrobática na Parada / Foto Divulgação

 

 

Residência Artística

Antes das três apresentações da Residência Artística, na noite de 22/8, Alain Veilleux reuniu o público em frente à lona e descreveu um pouco do que iria ser mostrado, em síntese, do que eles iriam ver.

A primeira apresentação foi a do circo-multimídia, “Dans l’oeil”, criado pelos artistas Anaouk Vallé e Eric Gagnono, do Quebec. Vallé fez acrobacias em um trapézio em que era projetado um vídeo ao som de músicas eletrônicas.

 

“Dans l´oeil” de Vallé e Gagnono / Foto Asa Campos

 

O segundo espetáculo da Residência Artística tinha como título “O resto é ruído”, apresentado pela cia. brasileira Artinerant’s, de Maíra Campos e Daniel Pedro, e contou com a participação da artista também brasileira Luu Li. Inspirado no livro “O circo do dr. Lao”, de Charles G. Finney, foi muito bem recebido pelo público.

Maíra Campos gostou da solução encontrada por Alain Veilleux na divisão em três tempos do número do arame e não se sentiu impedida, por estar grávida de quatro meses, de equilibrar-se no fio.

 

Maíra Campos e Daniel Pedro em cena de "O resto é ruído" / Foto Asa Campos

 

Perna de Luu Li sai do baú na apresentação do circo-teatro "O resto é ruído"/ Foto Asa Campos

 

A brasileira Luu Li como se fosse uma boneca de pano / Foto Asa Campos

 

Lu Li canta ao som do violão de Daniel Pedro / Fotos Asa Campos

 

Maíra Campos em 'espakate 'no arame / Foto Asa Campos

 

O terceiro espetáculo, “Equilibrium”, foi apresentado pelos artistas Laurence Tremblay, de Quebec, Luu Li, do Brasil, e Marie-Claude e seu cavalo Ophéo.

Marie-Claude explicou que “Equilibrium” esteve centrado na disputa entre a vida e a morte. A vida, representada pelo aramista canadense Tremblay-Vu, e a morte, pela acrobata brasileira Luu Li, na corda lisa suspensa. A vida por um fio e a morte suspensa na corda lisa, sob os olhares e comando de Marie-Claude, montada em seu cavalo branco.

 

Laurence Tremblay, no arame, e Luu Li, no chão: contraponto entre a vida e morte / Foto Asa Campos

 

Laurence e Marie-Claude, em cena de "Equilibrium" / Foto Asa Campos

 

Laurence deitado no arame / Foto Asa Campos

 

Marie-Claude, nas costas de Ophéo / Foto Asa Campos

 

 

Jornada Campestre

O último dia do Cirque en Fleuve começou com música tocada por Nadine Boucher em frente ao Moinho Vincelotte  – local onde foi instalado um bar para venda de bebidas, salgados e doces.

 

Moinho Vincellotte que se transformou em um bar / Foto Asa Campos

 

Nadine Boucher, cantora e compositora, toca sanfona na "Jornada Campestre" / Foto Asa Campos

 

Depois teve a apresentação do artista canadense Guillaume Doin que por estar participando de um evento apresentado por La Centaurée, laboratório de circo equestre, veio vestido a caráter: de jóquei. E trouxe seu cavalo, ou melhor, sua bicicleta com direito a um rabo azul na garupa.

Como jóquei-ciclista, fez volteios com a bicicleta/cavalo, deixou-a em duas patas, ou melhor, em duas rodas, a dirigiu com um cabresto preto e subiu em cima do guidón.  Impossível não rir e deixar de aplaudir a criatividade e técnica do jóquei/ciclista Guillaume.

 

Jóquei-ciclista Guillaume Doin faz peripécias em cima de sua bicicleta/cavalo / Fotos Asa Campos

 

O jóquei - ciclista Guillaume empina sua bicicleta/cavalo / Fotos Asa Campos

 

*Colaborou Antonio Gaspar

 

Capa: jornal L´Oie Blanche que fala da arte do Cirque en Fleuve. Fotos da capa: à esq. Marie-Claude, e seu cavalo; Luu Li, Maíra Campos (sentadas à mesa) Daniel Pedro e Alain Veilleux; à dir. cena de acrobacia de Maíra Campos e Daniel Pedro, Luu Li (na corda lisa) e ao fundo Marie-Claude.

Postagem – Alyne Albuquerque

Deixe uma resposta

*