Clip Click

Clown de ouro vai para diretor de circo russo e domador inglês

 

 

Ivy Fernandes, de Roma

O destaque deste ano do 43º Festival Internacional de Circo de Monte Carlo veio da Rússia: o Royal Circus. Dirigido pelo georgiano Già Eradze, o Royal transformou o ambiente abaixo da lona de Fontvieille em um cenário que se destacou tanto pela riqueza dos trajes, variedade de números, quanto pela técnica de seus artistas.
O evento deste ano, realizado de 17 a 27 de janeiro, reuniu 150 artistas provenientes de 15 países. Tradicionalmente, o festival distribui diversos prêmios para os participantes. O principal, o Clown de Ouro, foi para o diretor do Royal Circus, Già Eradze, e para o domador inglês Martin Lacey Junior.

 

Clown de ouro para o Royal Circus, dirigido por Già Eradze

 

Clown de ouro para o domador inglês Martin Lacey Júnior

 

Um dos momentos mais altos do festival e do Royal Circus foi a apresentação do número equestre. Bailarinas vestidas de branco acompanhadas por treze cavalos brancos, com enormes asas também brancas, em referência ao inverno russo, desfilaram debaixo da lona de Fontevielle encantando o público presente.
O número foi criado por Eradze, produtor, coreógrafo, diretor de cena, famoso por conseguir que suas composições se assemelhem a quadros sofisticados e imponentes.
Já o domador inglês Martin Lacey Junior colocou no picadeiro, simultaneamente, 26 animais, entre eles, três leões e três tigres.
A Trupe Chinesa Acrobática levou o Clown de Prata pelo conjunto da obra. Entre os ganhadores da prata estão mais três grupos de artistas – leia mais abaixo.

 

Trupe Acrobática da China leva o Clown de Prata

 

Seis foram os ganhadores do Clown de Bronze, entre eles, o palhaço português César Dias e o trio russo Without Socks. Dias e o trio russo surpreenderam pela imediata empatia com o público.

 

Bronze para César Dias, o palhaço português

 

Clown de Bronze para Without Socks, trio humorístico russo

 

A companhia russa Royal Circe levou a Monte Carlo trajes luxuosos, cavalos de grande porte, cenários grandiosos. A marca do circo russo se fez presente por sua técnica, dança, balé e cenários. Em um dos momentos, teve homenagem aos Ovos Fabergé, criados por Peter Carl Fabergé e seus assistentes de 1885 a 1917 para os czares da Rússia.

 

Ovos Fabergé, do Royal Circus, durante apresentação

 

 

Família Real comanda o evento

Pauline Ducruet, sua mãe princesa Stephanie, e seus irmãos Louis Ducruet e Camille Gottliet

“Fã do circo, o príncipe Rainier III criou o Festival International du Cirque de Monte-Carlo, em 1974, para prestigiar as famílias tradicionais circenses, que atravessavam momentos difíceis”, explica a assessora de imprensa do Principado de Mônaco, Lydie Calvas-Blanchon, ao site Panis & Circus, em fevereiro de 2013, durante o “New Generation”.

O Festival de Mônaco se tornou o maior evento circense do mundo focada na linguagem tradicional e o troféu “Clown de Ouro” é comparado ao Oscar para o cinema.

Em 2012, a princesa Stéphanie que acompanhava seu pai na edições do Festival criou o “New Generation” que premia os jovens talentos circenses com o “Júnior de Ouro, de Prata e de Bronze”. Sua filha, Pauline Ducret, que a acompanha em todos os festivais, passou a presidir o novo evento circense, um ano depois de criado.

O evento segue os passos do circo tradicional, com o uso de animais. “Ainda não estamos prontos para excluir espetáculos com animais, mas certamente o novo circo teve, tem e terá muita influência no Festival de Monte Carlo”, explicou um dos colaboradores do diretor-artístico, o suíço Urs Pilz, durante a 4ª edição do festival 2019.

Prêmio consagra Eradze
O Clown de Ouro ganho neste ano, no Festival de Monte Carlo, consagra o diretor do Royal Circus, Già Eradze, como um dos personagens de maior destaque no mundo dos grandes circos internacionais com linguagem tradicional.

 

Eradze, do Royal Circus, recebe o Clown de Ouro do príncipe Albert

 

Coreógrafo, produtor, diretor de cena, ele já havia ganho com o Royal Circus o Master Award em Sochi, no festival criado pelo presidente Russo, Valdimir Putin, em sua cidade natal.
Eradze nasceu em 1979 na cidade de Tbilisi, na Geórgia, que na época fazia parte da União Soviética. Seu pai era gerente de uma empresa e sua mãe, professora. Aos 11 anos, ainda estudante, começou a freqüentar a companhia de jovens circenses (Youth Circus). Na adolescência pretendia ser artista, mas o plano foi rejeitado por seus pais que queriam que ele completasse os estudos universitários. Para não desagradar a família, se formou dentista, profissão que nunca exerceu.

 

Domador de ouro

O domador Martin Lacey Junior, com o Clown de Ouro, ao lado do príncipe Albert e da princesa Stéphanie

 

O domador inglês Martin Lacey Junior, que levou o Clown de Ouro, nasceu em 1977 e ganhou fama na Alemanha. Rapidamente se transformou em um dos maiores domadores e treinadores do mundo de animais ferozes. Ele é o filho mais velho do famoso domador, Martin Lacey, diretor por vários anos do Great British Circus. Júnior cresceu brincando com filhotes de leoas e tigres. Sua mãe, Susan
Lacey, hoje aposentada, também treinava animais.

 

Palhaço português e o Bronze

César Dias, palhaço português, recebe o Clown de Bronze de Pauline Ducruet

 

César Dias nasceu em 1983 em uma família circense. Ele é a quarta geração da família portuguesa Dias, conhecida na Europa. Ele começou no picadeiro aos 6 anos. Na adolescência, demonstrou a sua habilidade como comediante e palhaço. Aos 19 anos se dedicou à arte da comédia, em companhias circenses de Portugal e Espanha. Seu maior sonho era trabalhar em grandes circos – o que conseguiu. Fez parte do elenco dos circos Knie (suíço), se exibiu com o Krone e o Teatro Price, de Madri, e também com companhias alemãs.
César Dias recebeu o Clown de Bronze das mãos de Pauline Ducret, que comanda o New Generation. Ela é filha da princesa Stephanie.

 

Russos são premiados

Palhaços russos levam o Clown de Ouro

 

O trio de clowns russos foi uma surpresa para o festival de Monte Carlo pela imediata empatia com o público. Vencedores do prêmio de Bronze, os palhaços russos, que no ano passado, venceram o Festival de Budapeste, conquistaram a plateia de Monte Carlo e o júri, com uma apresentação intrigante e nova na categoria dos clowns.

 

 

Troféu Clown de Ouro

Veja quem ganhou o Clown de Ouro, Prata e Bronze no Festival Internacional de Circo de Monte Carlo
Clown de Ouro
Martin Lacey Jr.: domador
Royal Circus – dirigido por Già Eradze
Clown de Prata
Duo Just 2 Men: cordas aéreas
Trupe Aliev: trapézio volante
Trupe Filinov: acrobacia na gangorra russa
Trupe Acrobática Chinesa: conjunto das apresentações
Clown de bronze
Joy Gartner´s Family: com elefantes em cena
Trio Without Socks: Clown
César Dias: palhaço
Quatuor Prilepin: Acrobacia
Duo The Owl and the Pussy Cat: Trapézio
Charlotte & Nicolas: Adágio Acrobático

 

 

Deixe um comentário

*