Destaques

750 benfeitores colaboram para construção da Casa Domingos Montagner

Da Redação

Domingos Montagner, ator, palhaço, um dos fundadores do Circo Zanni, acreditava “na transformação social e na formação de cidadãos por meio da educação associada à arte”. Esse conceito é a base do projeto de criação do Instituto Dom, a Casa Domingos Montagner. Trata-se de uma associação sem fins lucrativos que tem por objetivo disseminar arte entre a população menos favorecida.

Lu Lima, produtora cultural, e seus filhos, Leo (blusa azul), Toti e Dante no lançamento da Casa Domingos Montagner / Foto Asa Campos

Lançado em setembro, por Luciana Lima, produtora cultural e viúva do artista, o projeto conta ainda com a participação de velhos companheiros do ator como Fernando Sampaio que, com Montagner, fundou o Circo La Mínima, seu irmão, Francisco Montagner, irmão de Domingos, e Gustavo Wanderley, diretor social da casa.  Montagner morreu há 3 anos após mergulho no Rio São Francisco, durante uma pausa de filmagens. A iniciativa visa revitalizar a casa onde o ator nasceu e cresceu no bairro do Tatuapé, e transformá-la em um centro cultural em que, circo e teatro, paixões de Montagner, terão destaque. A previsão para inauguração do centro é dezembro de 2020, mas a equipe vai iniciar as atividades culturais em escolas públicas da região já no próximo semestre.

Fernando Sampaio durante o lançamento da Casa Domingos Montagner / Foto Asa Campos

Francisco Montagner, irmão de Domingos Montagner, durante o lançamento do projeto Dom / Foto Asa Campos

Os recursos para a construção do centro cultural foram obtidos por meio do financiamento coletivo encerrado em 15/11. Foi vencida essa importante graças a colaboração de 750 benfeitores.

A proposta é construir “um equipamento cultural para a Zona Leste de São Paulo, justamente para descentralizar os equipamentos culturais que estão muito concentrados nas Zonas Oeste e Central”, disse Wanderley à repórter do Estadão Ludmilla Honorato, no dia 6 de novembro.

Guilherme Wanderley e Lu Lima no lançamento do projeto / Foto Asa Campos

Com o dinheiro arrecadado nesta primeira etapa, o projeto começa a operar oferecendo educação por meio da arte em escolas públicas do Tatuapé. “Sete instituições de ensino já foram pré-selecionadas, duas delas onde Montagner estudou: a Escola Estadual Visconde de Congonhas do Campo, na qual entrou aos seis anos e cursou até o fundamental, e a Escola Estadual Professor Ascendino Reis, em que completou o ensino médio”, de acordo com o Estadão.

“Nosso objetivo é democratizar o acesso à informação e educação por meio da arte, algo levado muito a sério por artistas e educadores, e dentro do ambiente público. Isso é necessário nesse momento em que a cultura e a educação estão à beira de um colapso”, afirma Wanderley.

Casa Domingos Montagner

A casa de Domingos Montagner passou por pequenas reformas para abrigar o escritório do projeto. Ela está aberta ao público de segunda a sexta-feira, das 10 horas às 14 horas. No site do Instituto DOM e do financiamento coletivo há detalhes de como a casa ficará.

A ideia dos organizadores da iniciativa é construir um prédio de três andares destinado a uma exposição permanente de Domingos Montagner, sala para educadores, laboratório de desenho de cena, sala de espetáculos e camarins.

Hoje a casa antiga onde morou mostra objetos de Domingos Montagner como os que você pode ver abaixo:

Álbum de família na casa antiga de Domingos Montagner / Asa Campos

Chamando o público

Antiga casa de Domingos Montagner com seus objetos / Asa Campos

Para chamar a atenção dos moradores do entorno da Casa para o projeto de construção do centro cultural, em 29 de setembro, domingo, um cortejo com artistas, entre eles os do Circo Zanni, convidados e amigos saiu da Casa, na Rua Tijuco Preto, 263, no Tatuapé, zona leste, e percorreu as ruas do bairro.

Veja as cenas abaixo feitas por Asa Campos, do Panis & Circus.

Aviso no dia de lançamento da Casa Domingos Montagner / Foto Asa Campos

Palhaça Rubra e Filipe Bragantim em frente ao portão da casa onde Domingos cresceu

  

Artistas do Zanni e convidados tocam; ao fundo retrato de Domingos pintado na parede

Som dos instrumentos de sopro em prol da Casa Domingos Montagner

Daniel Pedro e Dani Rocha-Rosa, do Zanni

Raul, filho de Maíra Campos e Daniel Pedro, e Maia, filha de Marcelo Lujan e Dani Rocha, no cortejo
Raul no colo de sua mãe Maíra Campos, do Zanni
Raul Barreto, dos Parlapatões

Erica Stoppel, do Zanni

Marcelo Lujan, do Zanni, rege a banda…

Em seu passeio ritmado com artistas que apoiam a Casa Domingos Montagner …

Pelas ruas do Tatuapé

Fernando Sampaio e Guga Montanha, seu filho, e artistas no compasso do cortejo

Nereu, no primeiro plano, e Pepe Jardim, do Spacial, de calça listada

Kiko Caldas, da Cia. K

Wagnão, do Zanni

Marina Bombachini e Carlos Cosmai da cia. La Mala

Cosmai e Marina com a filha: pirâmide humana

Montanha Carvalho e sua filha

Fernando Sampaio e Felipe Bragantim, do Zanni

Felipe Bragantim e Fernando Paz, do Zanni

Meninas fazem acrobacia na rua durante cortejo

Luana e o bambolê

Artistas do Zanni e convidados em frente a antiga casa de Domingos Montagner

Deixe uma resposta

*