Destaques

Festival Paulista de Circo reúne cerca de 20 mil pessoas

 

Artista de Mequetefre espia o público pela cortina / Marcelo Justo-Apaa

 

Erica Stoppel, especial para Panis & Circus

O Festival Paulista de Circo, em sua 12ª edição, reuniu cerca de 20 mil pessoas para ver 300 artistas, em 40 espetáculos, em três lonas, de 16 a 18 de agosto, no Parque do Engenho em Piracicaba, interior de São Paulo.

O Festival começou na sexta-feira 16, com o espetáculo Festa no Picadeiro, que tive o prazer de dirigir, e que contou com a participação de 17 artistas. Foi um belo encontro entre os artistas – comprometidos com o fazer artístico e experientes no fazer coletivo – e a calorosa plateia de Piracicaba que chegou a aplaudir de pé as acrobacias no trapézio.

 

André Sabatino e Mariana Maekawa em Festa no Picadeiro

 

Durante os três dias do Festival, o público pode ver, entre outros, espetáculos como Mequetrefe, dos Parlapatões, um dos mais importantes do cenário artístico do país até o cortejo da Cumbia Calavera  – que saiu do Festival no Parque do Engenho e caminhou até o centro de Piracicaba. 

 

Cena do tecido gota em Festa no Picadeiro – Mariana Maekawa

 

Fora do Engenho Central, trupes circenses realizaram um projeto em Kombis que levaram a palhaçaria e o risco para bairros (quatro) mais periféricos da cidade.

Nos galpões do Engenho, a programação visou a formação com oficinas de acrobacia e técnicas aéreas para profissionais e iniciantes. Alunos de Jundiaí, Sorocaba, Campinas, Limeira, Vinhedo, São José dos Campos, São Paulo e ABC – ainda que contassem com uma estrutura acanhada de hospedagem — participaram dos cursos, oficinas e palestras e usufruíram do intercâmbio artístico tão importante na nossa profissão.

 

Performance Iluminaye com Luara Bolandini

 

O circo é uma linguagem que tem exigências técnicas específicas e delas depende para seu sucesso. A precisão e a segurança são qualidades indispensáveis para o bom desempenho artístico, e estiveram presentes na 12ª edição.  

 

Globo da Morte na área externa do Engenho em Piracicaba

 

A 1ª edição do Festival, em 2007, que à época acontecia na cidade de Limeira, anunciava a necessidade de  se estruturar a produção, enfatizar o trabalho de equipe e o aprendizado da experiência. De lá para cá, o festival vem se aperfeiçoando ano a ano e posso afirmar que a edição 2019 foi um exemplo de trabalho de qualidade, amor e dedicação para que cada um dos espetáculos pudesse ser atendido em suas necessidades com o mesmo empenho com o que os artistas o fazem. Todos os elogios ficam pequenos para a equipe técnica e a coordenação que realmente demonstram uma atitude profissional e humana extremamente comprometida com o fazer artístico e com o público.

A realização do festival é de responsabilidade da APAA (Associação Paulista dos Amigos da Cultura), que conta com a parceria da Secretaria da Cultura do Estado e a Prefeitura de Piracicaba. Apesar do sucesso de público e da importância do Festival Paulista de Circo, o governo estadual diminuiu a verba para a realização desta edição e reduziu de cinco para três dias a duração do evento.

 

Cortejo da Cumbia Calavera que saiu do festival até o centro da cidade

 

Cultura cerceada e redução de verbas

No momento político que vivemos em que a cultura é fortemente cerceada não podemos deixar de criticar o governo estadual, que, em início da sua gestão, permite cortes na verba destinada ao circo — uma das áreas mais carentes de incentivo – mesmo diante de sua importância como patrimônio cultural e do fato de as pesquisas de opinião demonstrarem que o circo atrai expressivas parcelas do público em comparação com outras linguagens.

O circo tem incentivos insuficientes para o tamanho da produção de linguagem que existe tanto na oferta quanto na demanda, sofre de orçamentos inferiores aos necessários pelas suas próprias características. É preciso fomentar o crescimento do festival de modo dinâmico em relação à produção contemporânea e permitir o alcance do evento a maiores e diversos públicos.  

Desejamos que as autoridades vejam o circo brasileiro com o olhar de quem reconhece a importância que merece.   

Viva o circo brasileiro e aos amantes do picadeiro!

 

Vejam mais fotos feitas do 12º Festival de Circo em Piracicaba feitas por Marcelo Justo, da Apaa

 

Filipe Bregantin e Fernando Sampaio em Festa no Picadeiro

 

Cenas de Rudá, um sonho real…

 

Do circo Rudá

 

Raul Barreto em Mequetrefe

 

Público assiste Mequetrefe

 

Fábrica de Brinquedos, da cia. LaMala

 

Espetáculo Casasa, com cia. Kawa

 

As voltas que o mundo dá, da cia. K

 

Espetáculo A brincadeira continua, da cia. Tem Sim Sinhô

 

Show de mágica e palhaçada do Palhaço Bochecha

 

Cena de Bravíssimo, do Circo Stankowitch

 

Circo a céu aberto com o palhaço Piter Crash

 

Cortejo da Cumbia Calavera

 

Perna de pau na área externa do festival

 

Apresentação para escola

 

Vista aérea das três lonas

 

Legenda – Foto de Capa – Público no Festival Paulista de Circo em Piracicaba / Marcelo Justo-Apaa

Deixe uma resposta

*