Pé na Estrada

Guadual: foco na cultura do Equador

 

 

Lu Menin, especial para Panis & Circus

 

Guadual se apresentou na quinta edição do CIRCOS – Festival Internacional Sesc de Circo, nos dias 21, 22 e 23 de junho, no teatro do Sesc Guarulhos. Eu, particularmente, estava com bastante expectativa, uma vez que gostei muito do espetáculo Pals, também direção de Ley Mendoza, presente na edição anterior do festival, em 2017.

Guadual tem uma particularidade em sua criação. Ley Mendoza assumiu a direção do espetáculo a convite de Ramón Barranco, diretor artístico de um grande teatro, Sánchez Aguilar, em Guayaquil, no Equador, que faz produções de teatro e musicais e apresenta uma importante programação internacional. O elenco foi selecionado por uma audição em Guayaquil, feita pelo próprio Ley, e considerou a realidade de uma cidade que não tem escolas de circo, mas sim um circo social potente, artistas de semáforo e rua.

 

Acrobacia e equilíbrio em cena de Guadual (Bambuzal)

 

A proposta feita pelo diretor do teatro era de que a história falasse da cultura equatoriana, o que fez Mendoza pensar em usar guadua, bambu típico da região. Com seu parceiro de construções, Uli, Ley Mendoza criou as maquetes que dariam origem aos aparelhos utilizados em cena, que realmente são um show à parte! A partir daí, começou a escrever a história de Guadual.

O enredo mostra uma companhia de circo internacional que é abandonada numa estrada à beira de um rio, no Equador, e é acolhida por camponeses, com quem passa a conviver e a dividir o espaço. Os artistas ensinam truques circenses aos anfitriões, que, por sua vez, mostram aos visitantes como lidar com o bambu. Um encontro poético da arte com a natureza, sintetiza texto de apresentação da equipe de CIRCOS sobre Guadual.    

O espetáculo estreou no Teatro Sánchez Aguilar em junho de 2016, com 16 sessões, e participou de três festivais, incluindo CIRCOS este ano. Aproximadamente uma vez por ano, os artistas se juntam para executar essa montagem. Vejo como uma grande experiência. Um espetáculo que não pertence a uma companhia específica, mas se trata de uma reunião de artistas de diversas realidades sob a direção de Ley Mendoza, que criou, a partir desse material humano, algo visualmente potente e muito profissional. Aliás, é relevante informar que esta é a primeira produção artística da maioria do elenco, que, através deste projeto, teve suas possibilidades de profissionalizar sua arte ampliadas. Muito rico nesse sentido! 

 

 

Os três personagens que abrem o espetáculo já são um grupo de circo, Los Circore, os camponeses, o portô, o magrinho bem equatoriano que conduz a história e traz pinceladas boas de humor, e o malabarista, figura forte e virtuosa! Diga-se de passagem, este ganhou uma bolsa de estudos e está na escola de circo Académie Fratellini. Que lindo caminho terá pela frente! Além dos artistas de circo, há dois bailarinos do ballet do Equador, uma das meninas, a que também é acrobata (ex-ginasta) e o paradista de mão.

 

Encontro entre artistas e camponeses / Divulgação

 

Enfim, uma obra com artistas equatorianos que fala do Equador mesmo! Em um momento, me senti realmente por lá! Os músicos ao vivo contribuem bastante para criar essa atmosfera de festa, de encontro, de tradição. Considero, dentro desta realidade que apresenta, um espetáculo bonito, delicado, que traz o circo com a verdade que lhe é peculiar. Clique aqui para ler um pouco mais sobre Ley Mendoza e sua estrada, página de sua companhia. Vale a pena conferir!

 

 

Segundo Mendonza Artagaveitia, “a partir da natureza, pessoas unidas conseguem construir algo aproveitando a sorte e a casualidade”.

E concluo com uma novidade: Ley Mendoza é o diretor de minha próxima criação com Pablo Nordio. Através do Fomento ao Circo de São Paulo, produziremos nosso espetáculo com direção artística de Ley Mendoza, direção técnica de Guga Carvalho e direção musical de Nacho Lopez (parceiro de Ley na Cia. Ciclicus). Aguardem… segundo semestre de 2019!

Ficha técnica de Guadual

Direção e dramaturgia: Leandro Mendoza Artagaveitia
Elenco: Priscila Aguilera Jurado, Jorge Luis Hidalgo Gavilanes, Alexander Gómez García, Mario Alberto Sanchez Araya, Margarita Mawyin Loriakova, Sofia Barriga Monteverde, Enrique Guillermo Roura Witt, Christian Padilla, Luis Miguel Cajiao, Jordy Burgos, Marcel Ferrer
Produção gral: Teatro Sánchez Aguilar
Produção: Denisse Melgarejo
Produção no Brasil: Marisa Riccitelli
Coprodução: Cíclicus, Cia Nós No Bambu, GREC, Ministério de Educação, Cultura e Esporte da Espanha

Inédito no Brasil

Data e hora

21/06 • 20h00

Sesc Guarulhos
Teatro

22/06 • 20h00

Sesc Guarulhos
Teatro

23/06 • 18h00

Sesc Guarulhos
Teatro

Duração 90 min.

Recomendação etária:10 anos

 

Foto de Capa – Aparelho circense feito com guadua – bambu típico do Equador / Divulgaçã

Deixe uma resposta

*