Anote

Em janeiro, tem espetáculo. Segundas-feiras: Coquetel de Fadas; terças: Os 3 Mosqueteiros; quartas: Viralatas – o Musical; quintas: História do Brasil e sextas: Medinho Medão no Youtube da cia. Viradalata.

Para ver os cinco espetáculos da Mostra de Repertório da cia. Viradalata (Coquetel de Fadas, Os 3 mosqueteiros, Viralatas – O Musical, História do Brasil e Medinho Medão), de segunda a sexta, em janeiro, acesse o canal Youtube da cia. Viradalata, sempre às 16 horas. Para ver os espetáculos clique aqui.

.

Segundas-feiras: Coquetel de Fadas

Terças-feiras: Os 3 Mosqueteiros

Quartas-feiras: Viralatas- O Musical

Quintas-feiras: História do Brasil

Sexta-feiras: Medinho Medão

.

A Mostra de Repertório da cia. Viradalata foi possível graças ao apoio da Lei Aldir Blanc na cidade de São Paulo, da Secretaria Municiapal de Cultura/Prefeitura de São Paulo e do Governo Federal

.

Panis & Circus pega carona no vídeo poético da Palhaça Rubra e deseja um Feliz Natal para o respeitável público. Veja o vídeo. Você vai se emocionar!

.

Cena de Ovo, espetáculo do Soleil / Divulgação

Cirque du Soleil sai de recuperação judicial após novo acordo com os credores

REUTERS – O grupo canadense Cirque du Soleil anunciou na terça-feira (24/11/2020) que saiu da recuperação judicial, após a pandemia de Covid-19 forçar o famoso circo a cancelar seus espetáculos e demitir seus artistas no início do ano.

O circo, que atingiu reconhecimento mundial após surgir de uma trupe de artistas de rua nos anos 1980, cortou cerca de 95% de sua força de trabalho de 4.000 pessoas e suspendeu todas as suas apresentações por causa da pandemia.

Após um pedido de recuperação judicial apresentado em junho, o circo chegou em seguida a um novo acordo de compra com credores.

Um grupo de credores, liderado pelo Catalyst Capital Group, havia feito uma proposta para tomar o controle do grupo circense em julho, substituindo um acordo com os acionistas do Cirque du Soleil que incluía financiamento da dívida por meio de um órgão governamental da província canadense de Quebec.

Como parte do acordo com os credores, o Cirque du Soleil anunciou que iria acrescentar o ex-CEO da MGM Resorts, Jim Murren, e Gabriel de Alba, um dos sócios do Catalyst Capital Group, ao seu conselho.

Daniel Lamarre continua como o presidente do grupo e a empresa manterá sua sede em Montreal.

Veja os espetáculos do Cirque du Soleil acessando www.cirquedusoleil.com e descubra o Cirque Connect

Espetáculo Ka do Soleil/Divulgação

Zanni e suas apresentações online

O Circo Zanni informa que chegou a hora de relembrar os melhores momentos do Projeto Zanni Segue que produziu 3 (três) Pílulas Artísticas – vídeos curtos com os núcleos de acrobacia, aéreos e palhaçaria- ; 1 (um) número musical em audiovisual e dois vídeos espetáculos.

Segundo o Zanni, tratou-se de “um mergulho nas novas possibilidades de construção de linguagem e um resgate do acervo e memória do grupo, o que permitiu trazer a presença de Domingos Montagner e minimizar um pouco da saudade da energia pulsante que ele traduzia como mestre de cerimônias do Circo Zanni.”

Para revisitar o Projeto Zanni Segue acesse o Facebook do Zanni, na próxima quarta-feira, 4/11, às 18 horas, e veja as ações de uma trupe incansável no amor ao circo e ao público e que ajudaram a enfrentar esse tempo de isolamento.

Museus, cinema, teatros, casas de show e bibliotecas reabrem em São Paulo

A capital paulista chegou à fase verde do Plano SP. A mudança foi anunciada pelo governador João Doria (PSDB) em entrevista coletiva nesta sexta-feira (9). Isso significa que, a partir deste sábado (10), museus, teatros, casas de show, bibliotecas e galerias podem reabrir suas portas, informa a Folha de S.Paulo.

Mas a vida cultural paulistana ainda deve demorar a voltar ao normal. Isso porque os espaços culturais devem seguir uma série de protocolos já assinados pelo prefeito de São Paulo. A mudança vale até 16 de novembro, quando será feita uma nova requalificação.

Até agora, não se tem informação sobre a programação dos circos.

De acordo com a Folha, “a obrigatoriedade do uso de máscaras, rotinas de conscientização e educação dos funcionários, desinfecção dos espaços, medição de temperatura dos visitantes, triagem rápida de colaboradores para identificar possíveis casos, distanciamento social, ocupação de 60% da capacidade máxima —tudo isso passa a fazer parte do dia a dia da cultura.

Por ora, eventos só serão permitidos se contarem com, no máximo, 600 pessoas —exceto se conseguirem autorização especial da Secretaria Municipal de Licenciamento. Eventos com mais de 2.000 pessoas ficam proibidos em quaisquer circunstâncias —festas, boates, grandes shows com público em pé e outras atividades que gerem aglomeração continuam proibidas.”

Nos teatros, os espectadores deverão ocupar assentos de forma intercalada, deixando dois lugares livres entre as pessoas. Se o local de espetáculo for ocupado por mesas, as cadeiras deverão ter distância de um metro entre si.

Coisa parecida acontecerá com os cinemas, que terão funcionamento limitado a oito horas e a obrigatoriedade de um metro e meio de distância dentro e fora das salas, o que também interdita algumas poltronas dentro das salas. Os espaços devem se empenhar para evitar que filas se formem.

Para Frederico Eckschimidt, epidemiologista pela Faculdade de Medicina da USP, os níveis da doença em São Paulo justificam a progressão para a fase verde, mas não se pode esquecer que ela ainda existe. “Vários lugares que abriram acabaram voltando atrás porque as pessoas acabam se descuidando. O que tem que ficar claro é que o problema não acabou e os cuidados têm que ser mantidos. O que muda é a organização dos serviços, mas quem puder ficar em casa deve ficar”, diz.

O QUE ABRE EM SÃO PAULO

As unidades do Sesc na capital paulista reabrirão primeiro suas exposições. A partir de quinta (15), o Sesc Bom Retiro abre a exposição “Caipirismo – José Antônio da Silva e Jocelino Soares”. Na outra semana, no dia 20, o Sesc Pompeia abre “Farsa – Língua, Fratura, Ficção: Brasil – Portugal” e “Kader Attia – Irreparáveis Reparos”, informa a Folha.

Mas ainda que possam, nem todos os espaços culturais pretendem reabrir imediatamente. “O fato de ter a liberação não significa que a gente já possa imediatamente reabrir”, diz Danilo dos Santos Miranda, diretor do Sesc São Paulo. Os teatros e salas de cinema da instituição ainda devem demorar para reabrir.

“De um lado a gente quer abrir tudo o mais rápido possível. Por outro lado, temos que ter os cuidados necessários para dar garantia de segurança a todos os usuários”, diz o diretor.

Museus e centro culturais

O Masp, o Centro Cultural Fiesp, o Itaú Cultural, o MAM (Museu de Arte Moderna), o Instituto Moreira Salles Paulista, o Instituto de Arte Contemporânea (IAC), o Memorial da América Latina reabrem na terça (13).

A Casa das Rosas reabre na quarta (14).

O Museu do Futebol e a Pinacoteca incluindo as unidades Luz, Estação Pinacoteca e o Memorial da Resistência de São Paulo abrirá as portas na quinta (15).

O Museu da Casa Brasileira reabre na sexta (16).

O Museu Afro Brasil reabre no dia 20 de outubro, com as exposições “Heranças de um Brasil Profundo” e “150 anos do poema Navio Negreiro”.

Cinemas

O cinema Petra Belas Artes e o Espaço Itaú de Cinema reabrem no sábado (10).

Teatros

O Teatro Bibi Ferreira retomará as atividades na próxima semana, no sábado (17), com espetáculos infantis.

Em meio a uma crise envolvendo sua entidade gestora, o Theatro Municipal cancelou todas as suas apresentações de 2020.

Já a Sala São Paulo reabre na quinta (15), com apresentações da Temporada Osesp, que terão duas sessões no mesmo dia —quintas e sextas às 19h e 21h15, sábados às 15h15 e 17h30.

Casas de shows

Entre as casas de shows, confirmaram abertura na fase verde a Audio, o Espaço das Américas, que pretende inaugurar uma série com a plateia organizada por mesas, o Tom Brasil, que deve reabrir na primeira quinzena de novembro, e o Blue Note, que tem o retorno dos shows previsto para 15 de novembro —com programação de shows já definida até dezembro.

Deixe uma resposta

*