Bom Bocado

Natal: é tempo de panetone

Ivy Fernandes, de Roma

Um diplomata brasileiro, transferido de Roma para Malesia, a Kuala Lumpur,  no final de ano, não  teve dúvidas: comprou cinco panetones e levou com a sua bagagem para o novo posto. Voltando a Roma, ele me contou: “Chegando a Kuala Lumpur, fui logo aos supermercados para fazer as compras para a nova  residência, e o que encontrei? Panetones por todos os lados,  preparados  como  se faz na Itália, e também das melhores marcas italianas  e prontos para as festas natalinas!”.

Os famosos  panetones italianos  não têm fronteiras, são vendidos nos países mais distantes, de Nova Iorque ao Japão, de Nova Zelândia a Siri Lanka, e a cena comum é um panetone  na mesa de Natal.

Existem muitas lendas sobre a história do panetone,  a mais  popular é que o doce de Natal foi  inventado por um chef de cozinha famoso, Ludovico Moro, de Milão. O chef tinha organizado  em sua residência um banquete de Natal para os familiares e amigos e estiveram presentes as pessoas mais influentes do seu bairro. Tudo correu bem: a ceia saborosa e inesquecível. Na hora da sobremesa, o chef, entretido com os convidados, acabou esquecendo no forno um bolo que tinha preparado com muito cuidado e que havia se queimado. Toni, seu assistente de cozinha, disse a ele:

 ”Com o que sobrou da preparação do bolo, um pouco de farinha, manteiga, ovos, uma casca de cedro e uva passa, preparei, nesta manhã, esse doce, que é simples. Se não tiver outra coisa, pode  levar à mesa para os seus convidados”.

A aparência  do doce  não  era lá  muito atraente:  redondo, um tanto queimado na parte de cima, um pouco deformado. Mas o chefe, sem ter outra  solução, levou à mesa o doce de Toni para os convidados.

 As fatias do  modesto  bolo foram servidas e os  convidados  gostaram do doce, que se transformou em um sucesso. Um nobre pediu  a receita  e  o  chef  teve de confessar que  o doce não  havia sido  feito por ele, porque o seu bolo pegou fogo e  essa sobremesa era  o “pan de Toni”,  disse  em puro dialeto milanês,  ou seja,  “o pão  de  Toni”, daí  o nome de “panettone”: uma receita  simples, que   nasceu  por acaso  há mais de 500 anos, atravessou  os séculos, ultrapassou  as fronteiras e chegou até os nossos dias.  

Outra lenda a respeito da invenção  do panetone é a de  Ughetto dos Atellani, um  rapaz que  trabalhava com os falcões  de montanha (hawk mountain)  e morava  em Grazie, um bairro de Milão. Ughetto era  namorado  da filha de um padeiro que se chamava Algisa, que estava perdendo a clientela porque outro padeiro havia instalado um forno na mesma rua. Era preciso tomar uma providência. Por isso, Ughetto  convenceu o pai de Algisa,  que se chamava Toni, a trabalhar com ele  e criar novas  receitas para  reconquistar   os  clientes.

Com um pouco de imaginação, farinha, ovos, açúcar, frutas secas, nasceu  o  novo  bolo de  Natal,  que se chamou  “Pan de Toni”.  A padaria de Toni ficou  famosa  em pouco tempo  e o  sucesso do “panettone” permitiu a Ughetto e Algisa  se casarem um ano depois.

Hoje o panetone não é mais feito em casa. Até o início  de  1900  eram  muitas padarias e  confeitarias que  produziam o produto, seguindo,  rigorosamente,  a receita de 500 anos atrás.

Desde 2005, o “panettone” italiano  é garantido  por  uma lei  que  especifica  os ingredientes  e as porcentagens  dos  produtos  que devem ser utilizados  para  garantir  a qualidade.

 

PANETONE  FEITO EM CASA

Os panetones  podem também ser  preparados  em casa,  por quem quer dar o seu toque especial no doce mais famoso do Natal.  Na versão  mais fácil, o bolo pode ser preparado com o fermento de cerveja. Esse ingrediente acelera as várias fases do crescimento do panetone  até alcançar  a  sua  forma de cúpula, com a parte de cima  mais  queimada.

Ingredientes:

Farinha de trigo – 350 g
Leite – 220 g
Manteiga – 28 g
Açúcar – 70 g
Ovos – 50 g
Fermento biológico fresco – 21 g
Sal – 3 g

Para o recheio
Frutas cristalizadas e passas – 150 g

1 – Num recipiente, misture os produtos secos: a farinha de trigo e o açúcar. Coloque metade do leite, até ficar uma farofa.

2 – Acrescente o sal e a manteiga. Coloque o restante do leite. Esfarele o fermento em cima da massa e acrescente os ovos. Misture bem a massa até ela ficar compacta. Com o auxílio de uma espátula, misture a massa até que fique lisa e homogênea.

3 – Divida a massa em duas partes. Misture com pedacinhos de frutas secas e passas. Deixe a massa descansar separadamente por 20 minutos.

4 – Coloque a massa em uma forma para panetone. Deixe fermentar até dobrar de volume por mais ou menos 1 hora e asse no forno a 180°C.

 

VALOR NUTRICIONAL

  •  100 gramas de panetone contém:
  • Calorias: 334 
  • Proteína animal: 2 gramas
  • Proteínas vegetal: 4 gramas
  • Carboidratos: 56,5 gramas
  • Gordura: 10,7 gramas
  • Fibras: 2,8 gramas
  • Ferro: 3 mg
  • Cálcio: 149 mg
  • Vitamina C: 10 mg.

· Editar

Deixe um Comentário

Conectado como Panis & CircusDesconectar?

Tags: ,

Deixe um comentário

*