Clip Click

Cultura circense invade Tendal da Lapa

 

 

Iara Gueller, no J’AM Circo no Tendal da Lapa / Carlos Gueller

 

Fernanda Araujo – especial para o Panis & Circus

Circo moderno de qualidade, de graça e em local de fácil acesso. Com esses predicados, a programação do Tendal da Lapa vem se destacando no circuito cultural da cidade de São Paulo. O viés circense é, em grande parte, uma conquista de Bel Toledo, atual gestora do equipamento e ativista cultural há mais de 30 anos. Há seis meses, desde que Bel assumiu a função, o Tendal quadruplicou a quantidade de frequentadores. A experiência da nova gestora permitiu a expansão da parceira com relevantes instituições e resulta na promoção de ações que elevam a fama do local de “Laboratório de Experimentos Culturais”, como o evento E a tal Dramaturgia do Circo…, realizado entre CAQ-LC – Centro de Apoio a Qualificação da Linguagem Circense (com sede no Tendal) e a SP Escola de Teatro.

 

Cena do público em J´AM Circo no Tendal da Lapa

 

Bel Toledo chegou em 1º de julho de 2017 com a missão de gerir a programação circense mas, em pouco tempo, tornou-se gestora do equipamento cultural. “Sou militante cultural há muito tempo e vim para fortalecer a classe artística.  Aqui temos espaço para ensaio, apresentações, debates e oficinas de dança, música e teatro. Tudo isso promove o fortalecimento da rede”, declara a gestora, orgulhosa de sua nova casa.   

 

Bel Toledo, gestora do Tendal da Lapa / Asa Campos

 

Dia 25 de janeiro, das 10h às 20h, por exemplo, o Aniversário da Cidade de São Paulo no Tendal promoverá uma série de atividades. Entre os artistas, cortejo da Cia. Suno, o som da Banda Paralela e as atrapalhadas de dois carteiros que têm a missão de entregar uma encomenda sem remente em Mjiba – A Boneca Negra.

A esperada mesa de debate E a tal Dramaturgia do Circo… está agenda para o dia 30 de janeiro, às 19h30. O evento será realizado pelo CAQ-LC – Centro de Apoio a Qualificação da Linguagem Circense (com sede no Tendal) em parceria com a SP Escola de Teatro. Presença confirmada de Hugo Possolo, Angelo Brandini (Cia. Vagalum Tum Tum), Mark Bellow (ex-diretor do Cirque du Soleil), entre outros convidados.

A mesa dará início há uma série de workshops até o mês de março como arame esticado, com Maíra Campos (dias 5, 6, 7 e 8/2); oficina de palhaço, com Caco Mattos (dias 27 e 28/2 e 1º/3) e Paola Musatti (dia 3/3); dança vertical, com Monica Alla (dias 5, 6 e 7/3). Os interessados nas oficinas deverão se inscrever, logo em breve, pelo site http://www.spescoladeteatro.org.br.

O Cabaré Seguro Desemprego – Os Irmãos de Pira ocorrerá todas às quintas-feiras, no mês de fevereiro, sempre às 21h. O evento tem a função de arrecadar fundos para Romer Malabarista e Andréss Alehandro, dois artistas circenses de Piracicaba que, convidados para um circo no Irã, não receberam o que fora combinado. Sem visto e sem dinheiro, os rapazes precisam de ajuda para retornar ao Brasil. A arrecadação será voluntária – no esquema de passagem do chapéu no fim do show – e totalmente revertida aos jovens.

 

 


Cena do Grupo Ares em J´AM Circo / Grupo Ares

 

Palco de boas atrações

Dia 13 de janeiro o espaço recebeu o espetáculo Cuidado! Um Palhaço Mau Pode Arruinar a sua Vida, de Chacovachi – artista inteligente, rebelde, autêntico e ácido. Fernando Cavarozzi, mais conhecido como palhaço Chacovachi, conquistou o público na Praça Francia, em Buenos Aires/Argentina, espaço no qual trabalhou por 16 anos. Com três décadas de carreira, apresentou-se nos mais emblemáticos festivais de circo e teatro do mundo.  Atualmente dirige o Circo Vachi e a ‘Convenção Argentina de Malabarismo, Circo e Espetáculos de Rua’.

A primeira edição da J’AM Circo, no dia 30 de novembro, também foi marcante para a categoria. Realizada pela Sabatino Brothers, com concepção do Grupo Ares e da Cia. Linhas Aéreas, a noite foi marcada por uma série de intervenções. Participaram do evento mais de 40 artistas de diversos coletivos contemporâneos, além de alunos das turmas do CAQ-LC – Centro de Apoio a Qualificação da Linguagem Circense. A escolha do título J’AM Circo” derivou da mistura entre o improviso da “jam” e a expressão francesa J’Aime (eu te amo) como forma de demostrar o amor à arte circense.

 

Cena da apresentação de J´AM Circo no Tendal / GA

 

“Foi uma ação colaborativa na qual cada participante agregou seu conteúdo cultural, com olhar criativo e repertório corporal. Foi bonito ouvir o silêncio interrompido por vezes pelo passo do trem (o Tendal fica ao lado da estação de trem Lapa). Também surpreendeu a presença cênica de muitas vozes femininas com cantos de diversos estilos, parece que as mulheres estão colocando a voz para fora mesmo”, disse Erica Stoppel, do Circo Zanni e Piccolo.

 

Flor Reeves em cena do Grupo Ares

 

 

Além das apresentações, a J’AM Circo propôs a interação com o público por meio de ensaio aberto de trapézio, com a dupla Sabatino Brothers; instalação de tecidos para crianças, com o Grupo Ares; corredor sensorial com corpos suspensos que remetiam ao domínio das bruxas; e uma divertida banda, criada na hora com os músicos ali presentes.

 

André Sabatino, Muchacho e Marcos Porto no trapézio / Carlos Gueller

 

“Vi inovação na proposta de apresentar trabalhos conjuntos, fugindo do tradicional ‘cabaré’. Com criatividade, ocuparam o espaço do Tendal da Lapa, itinerando, aproveitando de maneira inusitada o que de melhor há no centro cultural. Achei muito bom, bastante público espontâneo (cerca de 160 pessoas) e os artistas apresentaram performances modernas, envolvendo a plateia com qualidade e harmonia”, declarou Bel Toledo, gestora do Tendal da Lapa.

 

Vitor Abreu da Cia da Pegada no Tendal

 

Para a artista Iara Gueller, que participou do número de lira no J’AM Circo, o evento conseguiu estabelecer uma relação de cumplicidade e carinho entre os artistas, público e técnicos. “Emocionante”.

Segundo Helena Cerello o J’AM Circo foi uma bela iniciativa artística e um importante movimento de resistência nesse momento em que vivenciamos um desmonte da cultura. 

 

Luciene Braga em cena do Grupo Ares no J’AM Circo

 

Martin Sabatino, dos Brothers Sabatino, afirma que ficou feliz com a interação com o público no J’AM Circo. Quando ele lançou a ideia para a Mônica Alla, do grupo Ares e Ziza Brizola, do Linhas Aéreas, ficou surpreendido com a receptividade.  “A cada convidado que entrava mais e mais força o projeto ganhava. Cada artista ou residente do CAQ-LC imprimiu seu conteúdo cultural. Houve uma mobilização positiva e gostamos muito do resultado. Ficou clara a necessidade de espaços para criação de livres expressões culturais em paralelo ao circuito comercial e já estamos desenhando a segunda edição”. Mas, alerta que é preciso levantar fundos para custear a produção

Os estudantes da CAQ-LC utilizam o espaço do Tendal da Lapa para treinamento, ensaio e desenvolvimento de pesquisas.  

 

Gita Govinda, do Grupo Ares

 

Curiosidade:
Durante a década de 1940, o conjunto arquitetônico (com cerca e 6 mil m²) no qual o Tendal da Lapa funciona atualmente foi um importante centro de armazenamento e distribuição de carne para a cidade de São Paulo.

Em 1989, o prédio abrigou um primeiro projeto cultural, denominado Fábrica dos Sonhos. Desde então, passou a ofertar apresentações de teatro, dança e música, oficinas e esportes. Foi alvo de vários manifestos em prol de melhorias na estrutura e programação a cada mudança de gestão municipal.

Sob protestos da classe artística, a instalação do Poupatempo causou polêmica e abrigou-se um pouco mais adiante, na Rua do Curtume. No ano seguinte, a construção foi tombada pelo CONPRESP – Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo.

 

Claudio Costa no trapézio em J’AM Circo

 

Próximas atrações

Aniversário da Cidade de São Paulo no Tendal – Dia 25 de janeiro

10h às 11h30 – Contação de histórias, cantigas e brincadeiras infantis. 
11h30 – De Lucca Circus Show

12h30 – Cortejo da Cia. Suno

13h30 – Intervenções circenses com Circo de Ébano, TIC Cultural e ciclistas bonequeiros

14h – A Carta

14h40 – Intervenções circenses com Circo de Ébano, TIC Cultural e ciclistas bonequeiros

15h – Mjiba – A Boneca Guerreira, com a Cia. Trupe Liuds
16h40 – Circo de Doisdo

17h30- Banda Paralela

19h – Tânia Alves – show Alma Latina

 

Claudio Costa no trapézio em J’AM Circo

 

 

E a tal Dramaturgia do Circo…

Debate: 30 de janeiro, às 19h30

Oficinas:
Dias 5, 6, 7 e 8/2, das 9h às 12h e das 14h às 18h, Arame, com Maíra Campos

Dias 27 e 28/2 e 1º/3, das 14h às 18h, Palhaço, com Caco Mattos e lançamento de livro

Dias 5, 6 e 7/3, das 14h às 18h, Dança Vertical, com Monica Alla
Dia 8/3, Palhaço, das 14h às 18h, com Paola Musatti

Todas as quartas de fevereiro e março, das 10h às 13h, workshop de profissionalização e treinamento de Petit Volant, com André Sabatino e Marcos Porto. 

Cabaré Seguro Desemprego – Os Irmãos de Pira
Todas às quintas-feiras do mês de fevereiro, às 21h.

Local: Entrada por duas ruas: Guaicurus, 1.000 ou Constança, 72, Lapa. Todas as atrações são gratuitas

 

 

J’AM CIRCO

Ficha Técnica:

Sabatino Brothers: Martin Sabatino, André Sabatino, Luciene Bafa, Marcos Porto, Claudio Costa

Grupo ARES: Monica Alla, Gita Govinda, Flor Reeves, Laila Rebello
Linhas Aéreas: Erica Stoppel, Ziza Brisola, Patricia Rizzi, Helena Cerello, Iara Gueller, Isabella Rodriguez, Luara Bolandini
Trupe do Armário: Maiza Menezes ,Cibele Scalesi , Priscila Cereda, Munique Tavares e Isadora Rinelle (cantora)
Turma de Trapézio fixo e corda lisa – professores Maria Carolina Oliveira e Marian del Castillo 

Cia na Pegada – Vitor Abreu e Artur Faleiros Neves 

Cia LoNa : Lorena da Silveira e Natalia Vooren,

Tatiane Zilocchi , Patricia Tiemi Kuwai,  Gianfranco di Sanzo, “Muchacho”

 

Músicos: Edu Mantovani, Tomás Sampaio, Rafael Pio, Cesar Cara de Pau, Saulo Andrade, Rafael Ribeiro

Cantora: Ana Gelinskas

Coordenação Geral: Martin Sabatino Caldeyro

Direção Artística: Mônica Alla e Ziza Brisola

Deixe um comentário

*