Old

Vivaldi embarca num Yellow Submarino

Diego Mejia, com pé de pato, Paulo Goulart Filho, com bóia, em "O Agente das Quatro Estações", na Sala São Paulo/ Foto Asa Campos

“O Agente das Quatro Estações” marcou a abertura da temporada Aprendiz de Maestro 2014 em 26/3; “O Índio de Casaca” foi apresentado em 26/4   

Pé de pato, vestido florido, boneco de neve e notas musicais penduradas numa árvore foram usados pelos atores Paulo Goulart Filho e Diego Mejia, na apresentação de “O Agente das Quatro Estações”, que marcou a abertura da temporada “Aprendiz de Maestro” 2014, na Sala São Paulo, em 26 de março. Essa edição do Aprendiz passou a contar também com o apoio do Panis & Circus. (Leia mais sobre o assunto na seção Picadeiro).  

Paulo e Diego embarcaram em um trem musical que passou pelas estações primavera, verão, outono e inverno, “As Quatro Estações”, do compositor italiano Antonio Vivaldi (1678-1741). Os dois atores foram acompanhados em suas peripécias pela Orquestra Sinfônica Infanto Juvenil, sob a regência do maestro Daniel Cornejo.  

Durante o trajeto, a dupla relatou à plateia que o compositor e violonista Antonio Vivaldi nasceu em Veneza e seu pai era um barbeiro. “Não o de Sevilha, mas sim o de Veneza”, afirmaram.  (O Barbeiro de Sevilha é uma ópera-bufa de Rossini).

Goulart Filho, barbeiro com tesoura gigante, corta o cabelo do maestro Daniel Cornejo /Foto Asa Campos

 

Num piscar de olhos, Paulo Goulart resolveu ser o ‘Barbeiro de São Paulo’ e cortar os cabelos do maestro com uma tesoura gigante.   

Diego Mejia vestido como se fosse a primavera/Foto Asa Campos

De vestido florido e sombrinha, Diego encarnou a primavera. De bermudas, pé de pato e boia de criança, Paulo e Diego entraram no verão, com o ar parado, em um ritmo arrastado.  

Paulo e Diego com a maça colhida no outono, a estação das frutas/Foto Asa Campos

Com estilingue na mão, os dois tentaram colher frutas, ou melhor acertar em uma maça. Depois ficam parados olhando as notas musicais que caíam da árvore como se fossem folhas no outono. Em “As Quatro Estações” Vivaldi intercala andamento musical lento com o mais alegre. O italiano é reconhecido como a língua da música, e alegre quer dizer ‘allegro’ e devagar  ‘adagio’.

Os dois atores fogem do frio/Foto Asa Campos

 

A tilintar de frio, os dois atores resolveram desembarcar no Rio de Janeiro, com passos cadenciados ao som de “Forrobodó” de Chiquinha Gonzaga (1847-1935), compositora brasileira. Em junho, o “Forrobodó da Chiquinha” é o tema episódio do Aprendiz.  

Mas o que tem o Rio a ver com inverno? Nada, concluem.

Diego Mejia e o boneco de neve na Sala São Paulo/Foto Asa Campos

 

Daí a ginga de “Forrobodó” cedeu lugar ao gestual típico de “Thriller” de Michael Jackson, ao som da Quinta Sinfonia de Beethoven. Impossível não rir. E não parou ai a miscelânia de sons e passos.

Para se proteger das chuvas, Paulo e Diego dirigiram-se ao “Submarino Amarelo” acompanhados das palmas da plateia.  

Os dois apresentadores brincam ao som de "Yellow Submarine"/Foto Asa Campos

 

“O Agente das Quatro Estações” é uma adaptação divertida e inteligente de Paulo Rogério Lopes da obra de Vivaldi.

O movimento de um trem musical que passou por “quatro estações” e desembocou num submarino amarelo dos Beatles em companhia da Orquestra Filarmônica Infanto Juvenil.

Com interpretações bem afinadas de Paulo Goulart Filho e Diego Mejia, o espetáculo conquistou a plateia. Crianças, como Isa Almeida, 5 anos, vibrou com as confusões armadas pela dupla de atores. Seu pai, Antonio, cantarolou animado “yellow submarine, yellow submarine” na Sala São Paulo.

 

Ficha técnica

Texto e direção artística: Paulo Rogério Lopes

Atores: Paulo Goulart Filho e Diego Mejia

Participação especial: Orquestra Filarmônica Infanto Juvenil

Regência: maestro Daniel Cornejo

Direção geral e de produção: Ângela Dória

Fotos Asa Campos   

Série TUCCA Aprendiz de Maestro

TUCCA – Associação para Crianças e Adolescentes com Câncer

 

Tags:

Deixe um comentário

*