Pé na Estrada

Vizinhos opens the 1st Sesc Circus Festival in Mato Grosso do Sul (MS)


Maíra Campos in izinhos at !st Sesc Circo Festival in Mato Grosso do Sul (MS)

 

Marina Ferreira, especially for Panis & Circus

 

Vizinhos, an Artinerant’s Company show, opened the 1st MS Sesc Circus Festival enchanting the audience of Campo Grande and Corumbá. Mato Grosso do Sul (MS) is the state witch has in Bonito one of the most beatiful ecosistems in Brasil. 

Vizinhos, presents the daily life of a man and a woman in which household objects are transformed and take on new uses and functions. This is the case of a sofa that swallows a reader who sits on it, and works as a trampoline for “freedom”, a book that literally catches fire in the reader’s hands and a clothesline that turns into a tightrope.

 

 

 

Vizinhos presented at Sesc Horto, in Campo Grande, on June 20, delighted the crowding audience at the Prosa Theater to see the São Paulo artistic duo, Maíra Campos and Daniel Pedro, co-founding members of Circo Zanni. It was also presented in Corumbá, on June 22, at  Moinho Cultural.

The tightrope walker, Maíra Campos, also delivered a wire balancing workshop in the same theater. She told and showed the audience, formed mostly by young people, how she learned and developed the technique. She promoted a useful dialogue and instigated participants with topics such as body awareness, emotional and physical balance, and taught balancing exercises techniques. The event held participating children in on-site educational activities and lasted all day.

 

Daniel Pedro e Maíra Campos no festival do Sesc - MS / Marina Ferreira

According to Jefley Maurício, one of the participants, the event was  a great contribution to the region in presenting contemporary circus shows, workshops about circus techniques, photo exhibitions and movie sessions. The festival happened from June 20 to 24.

 

A total of fourteen (seven national and seven regional) Circus companies, performed in the Festival, such as Vizinhos by Artinerant’s (SP), Clake by Circo Amarillo (SP), A salto alto entre gentilezas e extermínios by Circo no Ato (RJ) and Cabaret du Chapeau by Le Chapeau (MS).

 

Pablo Nordio e Marcelo Lujan em Clarke no Festival de Circo Sesc MS

 

 

Clake created by Marcelo Lujan and Pablo Nordio, co-founders of Circo Zanni, featured a sequence of classic gags combined with contemporary language resulting in a comic and musical clown show. 

 

Cabaret du Chapeau, com Le Chapeau (MS) encerrou o festival


See Mariana Arnadt´s photo exhibition about Vizinhos with Maíra Campos and Daniel Pedro, in the MS-Sesc Circus Festival opening show.

 

Leia o texto original em português

Marina Ferreira, especial para Panis & Circus

Vizinhos, da companhia Artinerant’s, abriu o 1º Festival de Circo do Sesc MS (em Mato Grosso do Sul), que durante quatro dias, de 20 a 24 de junho, encantou as populações de Campo Grande e Corumbá. 

Em Vizinhos, os artistas mostram o dia-a-dia de um homem e de uma mulher. Nele, objetos se transformam e assumem novos usos, como um sofá que engole quem nele se senta para ler e também pode ser usado como um trampolim para ‘liberdade’, um livro que pega fogo literalmente na mão do leitor, e um arame, que serve de varal, mas se transforma em sustentação para uma equilibrista.

Vizinhos apresentou-se no Sesc Horto, em Campo Grande, em 20/6, agradando muito a platéia que lotou o Teatro Prosa para ver a dupla de São Paulo, Maíra Campos e Daniel Pedro, que com mais sete sócios criaram o Circo Zanni. O espetáculo também foi apresentado em Corumbá, no dia 22/6, no Moinho Cultural.

A aramista Maíra Campos deu ainda uma oficina de equilibrismo em arame no mesmo teatro. Ela contou e mostrou ao público, formado em sua maioria por jovens, como aprendeu e desenvolveu a técnica. Promoveu diálogos e instigou os participantes com questões como consciência corporal, equilíbrio emocional e físico e ensinou técnicas de preparo para exercícios de equilíbrio. O evento com crianças participantes de atividades educativas no local durou o dia todo.

De acordo com um dos integrantes do festival Jefley Maurício, tanto os que lotaram o Teatro Prosa quanto os que estiveram no Moinho se mostraram muito participativos. Uma boa surpresa, segundo ele, e torce para que se torne rotineiro a população sul-mato-grossense lotar teatros para apreciar eventos culturais.

Na opinião de Maurício, o festival foi um presente cultural para a região. Durante o evento, foram apresentados espetáculos de circo contemporâneo, oficinas de arte circense, exposição fotográfica e sessões de cinema.

O festival contou com 14 grupos circenses, sete nacionais e sete regionais, e promoveu quatro oficinas. Com entrada franca, o público pode assistir e participar dos eventos promovidos pelos organizadores no Teatro Prosa, do Sesc Horto, o Sesc Morada dos Baís, ambos em Campo Grande e O Moinho Cultural, no Sesc Corumbá.

“O que queremos é favorecer a democratização e a circulação de espetáculos circenses, buscando reunir a classe para ampla afinidade cultural, fomentando a pesquisa, aprimoramento técnico e a interpretação artística das produções e, sobretudo, estimulando a formação de novas plateias”, explica a diretora regional do Sesc MS, Regina Ferro. A proposta é realizar edições a cada dois anos.

Durante o Festival foram apresentados os seguintes espetáculos: Vizinhos, da Cia. Artinerant’s (SP), Bom Apetite, com a Cia. Pé de Vento (SC), O experimento Tirésias, com Rick Thibau (MS), Os Corcundas, com Circo do Mato (MS), Concerto em Ri Maior, com a Cia. Dos Palhaços (PR), Tá ruim, mas tabão, com Aplausos (MS), Clake, com o Circo Amarillo (SP), A Salto Alto Entre Gentilezas e Extermínios, com Circo no Ato (RJ), e Cabaret du Chapeau, com Le Chapeau (MS). 

Clake, criado por Marcelo Lujan e Pablo Nordio, também fundadores do Zanni, foi apresentado em 23 de junho no Sesc Escola Horto. O espetáculo mostra uma sequência de gags clássicas combinadas com linguagem contemporânea que resulta em espetáculo de palhaçaria cômica e musical. 

A Exposição Fotográfica – Memórias do Circo do Mato, de Laila e Larissa Pulchério, destacou a história desse grupo sul-mato-grossense, um dos pioneiros a aplicar a teatralidade à arte circense em Campo Grande.

O documentário Circo é… Circo também foi um dos pontos altos do evento. Clique aqui para ler reportagem do Panis & Circus sobre esse documentário.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

*